O que é um stakeholder?

Criado em 1984, o conceito de stakeholder se refere a qualquer organização ou pessoa que, de algum modo, foi afetada pelas decisões de uma determinada empresa.

Em português, o termo significa “parte interessada”. O criador desse conceito foi o filósofo norte-americano Robert Edward Freeman.

A teoria dos stakeholders pode ser explicada da seguinte forma: para que uma empresa tenha sucesso, ela precisa criar valor, seja ele financeiro ou não, para várias partes interessadas: fornecedores, investidores, clientes, comunidades, funcionários, entre outras. As empresas tratam todos esses grupos como stakeholders.

Stakeholders

Normalmente, as empresas costumam se preocupar apenas com números, pois elas querem lucrar cada vez mais. A função do conceito é modificar esse pensamento. Dessa forma, as empresas começarão a pensar nos grupos que são afetados pelas ações delas, ainda que de forma indireta.

Um cidadão comum é um stakeholder para vários serviços que ele utiliza. Por exemplo, se uma pessoa é cliente de algum banco, ela se transforma em um stakeholder para aquela instituição. Afinal de contas, qualquer decisão tomada pelo banco pode afetar a vida daquela pessoa positiva ou negativamente.

Em resumo, qualquer pessoa que é influenciada pelas decisões de uma instituição se transforma em um de seus stakeholders. Segundo a teoria de Freeman, para que uma empresa atinja seus objetivos, ela precisa buscar meios para atender aos interesses.

Veja: Definição de Stakeholder na Wikipédia

 

Stakeholder-chave

Stakeholder-chave
Stakeholder-chave

Além dos comuns, também existem os stakeholders-chave. Esse tipo é aquele cujo impacto das ações de uma empresa o afeta de grande forma.

Por exemplo, imagine que alguma empresa pretenda canalizar um rio para executar um novo projeto. A comunidade que terá o seu dia a dia afetado por essa canalização é um stakeholder-chave.

Dependendo de como a canalização for afetar aquele local, talvez a prefeitura ou o governo do estado proíbam essa obra de acontecer.

É importante que as empresas prestem muita atenção nesse tipo de stakeholder, pois a influência dele pode alterar todo o cronograma de um projeto ou até mesmo interrompê-lo.

Artigo Recomendado: Diferenças entre Stakeholder e Shareholder

 

Como identificar os stakeholders de um projeto

identificar os stakeholders de um projeto
Como identificar os stakeholders de um projeto

Um bom modo de identificar os stakeholders de qualquer projeto é fazer uma lista com todas as possíveis partes interessadas. É preciso anotar todos os grupos que podem ser afetados pelo novo projeto daquela organização.

Não importa se o grau de interesse de algum é alto ou baixo, se o projeto irá afetá-lo, ainda que de forma mínima, ele deve estar nessa lista. Dessa forma, o dono do projeto saberá quais públicos serão impactados pelas ações dele.

Além de fazer essa lista, é importante fazer pesquisas no mercado, analisar a concorrência e até mesmo conversar diretamente com os clientes. É necessário que o maior número de pessoas possível participe desse trabalho, pois essa pesquisa mostrará quais públicos estarão envolvidos no projeto de alguma forma.

Após montar a lista de stakeholders, é preciso entender qual é o interesse de cada um deles a respeito desse projeto. É importante analisar tanto os interesses positivos quanto os negativos.

Se algum apresentar um interesse que prejudique um determinado projeto da empresa, é preciso ficar atento a essa situação. Por exemplo, imagine que uma empresa queira construir uma fábrica em um determinado local.

Contudo, algum concorrente tenta fazer lobby para impedir que aquela empresa adquira um terreno para construção. Isso impediria a empresa de atuar naquele local e facilitaria muito a vida do concorrente, pois ele continuaria “reinando” naquele território.

É preciso prestar muita atenção nos stakeholders negativos, pois eles podem prejudicar muito o andamento de uma empresa.

Quando o assunto é stakeholder, todas as possibilidades devem ser estudadas. Dessa forma, o dono do projeto terá um conhecimento profundo sobre seus e saberá como lidar com eles. Quanto maior o conhecimento sobre os stakeholders, menor será a chance de alguém elaborar um projeto fracassado.

 

Quais são os tipos de stakeholders?

Tipos de stakeholders
Quais são os tipos de stakeholders?

O grau de influência que uma instituição exerce sobre um stakeholder pode variar. Por conta disso, existem stakeholders primários e secundários.

Por exemplo, os investidores ficam na classe primária, pois eles influenciam a empresa de forma direta.

Além disso, clientes, funcionários, fornecedores e proprietários também são stakeholders primários, pois todos eles podem influenciar diretamente uma empresa.

Por sua vez, órgãos de imprensa, entidades do governo, ONG’s e outros tipos de instituições são secundários. Apesar desses grupos serem influenciados pela empresa, as ações deles não conseguem determinar se uma instituição será capaz de cumprir as suas metas ou não.

O nível de importância pode variar de acordo com o projeto que está sendo elaborado. Por exemplo, uma empresa pode tratar uma determinada comunidade como secundária para os seus negócios.

No entanto, essa mesma empresa pode elaborar um projeto em que essa comunidade vai ganhar uma importância maior. Nesse momento, a comunidade deixou de ser um stakeholder secundário e se transformou em um stakeholder primário.

Em resumo, por mais que um determinado grupo seja tratado como primário ou secundário, nada impede que ele mude de patamar de uma hora para outra. Tudo vai depender do projeto que a empresa programou e da influência que ele vai gerar naquele grupo.

Leitura Recomendada: Quais são os tipos de stakeholders?

Imagine que uma organização irá construir uma fábrica em um determinado local e que isso afetará a geografia da região e a vida de seus moradores.

Durante o período de construção, o local que era tratado como stakeholder secundário passará a ser visto como primário, pois aquela fábrica causará um grande impacto na vida dos moradores daquele local.

Como gerenciar os stakeholders da sua empresa

gerenciar os stakeholders da sua empresa
Como gerenciar os stakeholders da sua empresa

Gerenciar os stakeholders de uma empresa não é um trabalho simples. É importante ficar atento a cada tipo que pode influenciar uma organização, pois o nível de influência de cada um deles pode determinar se uma empresa conseguirá bater suas metas ou não.

Para que haja uma boa gestão, é importante que seja trabalhado um excelente poder de negociação. Trabalhar esse ponto é importante, pois, dependendo do projeto executado, será necessário conversar com vários stakeholders.

Saber como falar com as pessoas é essencial, pois será necessário chegar a um meio termo onde ninguém seja prejudicado. Quanto mais satisfeitos estiverem, maior a chance de uma empresa prosperar.

 

Stakeholder no gerenciamento de projetos

Stakeholder na gestão de projetos
Stakeholder no gerenciamento de projetos

Sempre que alguém for gerenciar um novo projeto, é necessário analisar os perfis de cada stakeholder e saber como cada um deles poderá influenciar nesse trabalho.

Dessa forma, é muito importante que o dono do projeto garanta que todos fiquem satisfeitos com aquele serviço. Sem essa aceitação, talvez o valor do projeto fique comprometido, pois todos os stakeholders podem agregar um valor imenso para o projeto. As demandas afetam uma empresa de forma direta, por isso, é importante tê-los com aliados.

Criar um projeto que satisfaça uma grande variedade de stakeholders é algo muito difícil de fazer. É preciso encontrar um objetivo em comum para todos os indivíduos e organizações que serão influenciados por esse projeto. Isso permitirá que o trabalho se desenvolva de forma saudável, sem prejudicar ninguém durante o processo de elaboração.

Gustavo Oliveira Mattos

Meu nome é Gustavo Oliveira Mattos, sou apaixonado por Empreendedorismo e sou colunista da Stakeholder News, empresa especializada em soluções de tecnologia, Marketing e Empreendedorismo para pequenas e médias empresas, ajudando profissionais em fases iniciais e intermediárias de suas carreiras, e pequenas e médias empresas.