Diferenças entre Stakeholder e Shareholder

Diferenças entre Stakeholder e Shareholder – Existem termos no mundo corporativo que, por serem parecidos, podem confundir as pessoas leigas no assunto. Um desses casos tem a ver com os termos shareholder e stakeholder. Apesar das grafias dessas palavras possuírem semelhanças, os seus significados são muito diferentes.

Basicamente, stakeholder se refere a uma pessoa ou organização que será influenciada por um ou mais projetos de uma determinada empresa. Por exemplo, clientes, fornecedores, acionistas e funcionários podem ser vistos pelas organizações como stakeholders.

Por sua vez, um shareholder é um acionista de uma empresa e ele também pode ser considerado um stakeholder. Normalmente, um shareholder costuma ter grande influência nas empresas, pois ele costuma fazer investimentos em dinheiro.

Além disso, um acionista pode lucrar muito ou ter grandes prejuízos, tudo vai depender do valor das ações da empresa.

Antes de prosseguir com a leitura deste artigo, acessem: O que é um stakeholder?

Stakeholder e Shareholder

Stakeholder e Shareholder
Diferenças entre Stakeholder e Shareholder

Ter um shareholder insatisfeito é ruim, pois ele traz recursos financeiros para a organização. Basicamente, o shareholder é o stakeholder que possui maior influência dentro de uma empresa. Desagradá-lo pode resultar em uma grande perda financeira.

Contudo, também é preciso agradar aos outros stakeholders, pois da mesma forma que eles são influenciados pela empresa, a organização também é influenciada por eles.

Por exemplo, não adianta nada uma empresa elaborar um excelente produto se, por alguma razão, os clientes se recusarem a comprá-lo. Isso trará um grande prejuízo em longo prazo. Basicamente, o gestor de uma empresa terá que agradar ao seu acionista sem desagradar aos outros stakeholders.

 

Quais as funções de um shareholder?

Além de investir dinheiro nas empresas, um shareholder costuma ter grande influência nos locais onde ele atua. Por exemplo, um shareholder majoritário pode ser o fundador da empresa ou então um de seus parentes. Isso acontece com frequência em instituições muito antigas.

funções de um shareholder
Quais as funções de um shareholder?

Acionistas majoritários têm um grande poder nas organizações em que eles trabalham. Eles podem substituir membros do conselho da empresa e também contratar executivos para cargos mais altos.

Os shareholders são tão influentes que algumas empresas preferem não tê-los.

Um shareholder costuma ter grandes expectativas sobre o desempenho das empresas em que ele investiu. Se uma companhia possui um bom desempenho em seus negócios, as ações ganham valor e os acionistas podem aproveitar seus lucros por meio do pagamento de dividendos.

Para quem não sabe, dividendos representam uma parcela dos lucros de uma organização. Após as suas demonstrações contábeis, as empresas costumam repartir os dividendos entre os seus acionistas.

Os valores costumam ser pagos de acordo com o número de ações de cada shareholder.

No entanto, nem tudo é perfeito na vida de um shareholder. Se o valor das vendas e das atividades da empresa cair, o valor das ações investidas também cai. Dessa forma, o acionista terá um grande prejuízo.

Por conta da instabilidade do mercado de ações, é importante que as empresas criem um bom plano de ação para lidar com esse tipo de problema.

 

Stakeholder no gerenciamento de projetos

Quando uma pessoa for gerenciar um novo projeto, ela terá que fazer uma análise dos perfis de cada stakeholder. É importante fazer esse trabalho, pois cada stakeholder pode influenciar o projeto de um modo diferente.

Para saber mais sobre o assunto, acessem: Stakeholders na Gestão de Projetos

Stakeholder na gestão de projetos
Stakeholder no gerenciamento de projetos

Ao elaborar um novo projeto, é muito importante ter o apoio de todos os stakeholders, pois eles são a chave para que o projeto evolua. Sem o apoio deles, talvez o projeto perca valor e não se desenvolva da maneira desejada.

Os stakeholders são muito influentes e podem diminuir ou aumentar o crescimento de uma empresa. Por conta disso, é necessário fazer o possível para agradá-los.

Elaborar um projeto que agrade vários grupos de stakeholders é bem complicado. É necessário encontrar um meio termo para que todos esses grupos saiam ganhando, afinal de contas, todos eles serão impactados pelo projeto de algum modo.

Ter o apoio dos stakeholders ajudará o projeto a se desenvolver de forma saudável, o que trará um ótimo retorno para o seu criador em longo prazo.

 

Shareholders na economia

Os shareholders possuem grande influência na economia, pois são eles que comandam o atual sistema capitalista. Como os shareholders compram ações das empresas, eles querem que as corporações maximizem seus lucros a qualquer custo, sem pensar nas pessoas e organizações que serão afetadas por isso.

Shareholders no mercado financeiro
Shareholders na economia

Em resumo, os shareholders se preocupam apenas com seu próprio ganho financeiro e não costumam pensar nos outros stakeholders.

O capitalismo shareholder (capitalismo de acionistas) é o sistema econômico que comanda o planeta atualmente. Ele começou a crescer na década de 1970 e passou a ter grandes proporções nas décadas posteriores.

O crescimento desse modelo econômico foi benéfico para muita gente. Milhões de pessoas prosperaram pelo planeta, pois várias empresas surgiram e deram origem a novos mercados. Por conta disso, novos empregos foram criados e muitas pessoas foram agraciadas com eles.

No entanto, o capitalismo de acionistas possui um lado ruim. Como o foco dele era exclusivamente o lucro, as empresas não se preocuparam em agir como organismos sociais.

Isso quer dizer que muitas organizações não pararam para analisar o impacto social de suas escolhas e atitudes. Ou seja, as empresas se desconectaram da realidade e passaram a viver em um mundo paralelo onde apenas o dinheiro importa.

 

Irresponsabilidade do capitalismo com os Shareholders

Um bom exemplo da irresponsabilidade do capitalismo com os shareholders é o desmatamento ilegal. Nesse caso, os empresários ficaram tão preocupados com lucro que as árvores e seus terrenos podem oferecer que se esqueceram que cortá-las ou queimá-las pode prejudicar o planeta.

Muitos incêndios florestais são consequência do capitalismo shareholder.

Shareholders no capitalismo
Irresponsabilidade do capitalismo com os Shareholders

Com o passar do tempo, muitos administradores perceberam que esse tipo de capitalismo não é sustentável, pois ele maltrata demais o planeta. É nesse momento que entra o capitalismo stakeholder (capitalismo das partes interessadas).

A proposta desse novo capitalismo é analisar quais pessoas e organizações serão afetadas pelos novos projetos das empresas.

Depois que essa análise for feita, é preciso arrumar uma forma para que todas essas pessoas sejam beneficiadas pelo tal projeto e não prejudicadas por ele. Dessa forma, tanto as empresas quanto seus stakeholders serão beneficiados.

Muitos executivos e acionistas perceberam que, para obter sucesso, eles precisam pensar nas partes que serão afetadas por suas decisões. Ou seja, uma empresa não pode elaborar um projeto sem pensar em seus clientes, funcionários, fornecedores, entre outros.

Por conta dessa mudança de pensamento, o capitalismo stakeholder vem ganhando terreno de forma rápida. Essa mudança de mentalidade é importante, pois pensar apenas nos lucros é prejudicial para muita gente, inclusive para os próprios acionistas.

Não adianta nada criar um excelente produto e desagradar um grande número de pessoas durante esse processo.

Essas pessoas frustradas podem ser potenciais clientes ou parceiros. Portanto, não tê-las como aliadas pode causar um enorme prejuízo financeiro e moral. Essas pessoas chateadas se transformariam em stakeholders ignorados.

Ignorar um grupo de stakeholders pode manchar a imagem de uma corporação, pois a influência deles em uma empresa é gigantesca. Quanto mais rápido as corporações se aliarem aos seus stakeholders, maior a chance de elas crescerem de forma sustentável.

Gustavo Oliveira Mattos

Meu nome é Gustavo Oliveira Mattos, sou apaixonado por Empreendedorismo e sou colunista da Stakeholder News, empresa especializada em soluções de tecnologia, Marketing e Empreendedorismo para pequenas e médias empresas, ajudando profissionais em fases iniciais e intermediárias de suas carreiras, e pequenas e médias empresas.