Análise da sustentabilidade de stakeholders


sustentabilidade-stakeholders

Profissionais em projetos de desenvolvimento sabem que o gerenciamento dos stakeholders juntamente com o gerenciamento da comunicação não são apenas importantes, mas também obrigatórios para o sucesso do projeto. Alguns stakeholders no projeto podem ser tão influentes que podem fazer o que quiserem. A arte do gerenciamento de projetos requer, por vezes, “fazer os elefantes dançarem a sua música”. Em uma gestão orientada para a sustentabilidade, o hino do projeto a ser cantado por todos é a sobrevivência de resultados após a intervenção ser fechada. O resto desta discussão tenta mostrar como o gerenciamento dos stakeholders pode ser feito de uma maneira que promova o desenvolvimento sustentável.

Identificação e análise sustentável dos stakeholders

Antes da implementação de um projeto, é sempre recomendável identificar e analisar os stakeholders com foco em aspectos de sustentabilidade. Uma vez que os stakeholders são identificados, o próximo passo será a analisá-los. A saída do exercício de análise é uma classificação de todos os stakeholders em categorias de acordo com o seu suporte ou interesse em soluções duradouras e o nível de poder que eles têm para fazer o que eles querem.

Existem várias maneiras de analisar os stakeholders com foco em aspectos de sustentabilidade do projeto. Por exemplo, a análise pode utilizar uma grade de poder e sustentabilidade como resumido na tabela abaixo.

power-level-vs-sustainability-support-level

Figura 1: Nível de poder versus nível de suporte de sustentabilidade

Predadores

Estas são pessoas poderosas que não se preocupam com soluções duradouras que na maioria das vezes as percebem como ameaças aos seus interesses pessoais. Em seus esforços para salvaguardar os seus próprios interesses, eles prejudicam seriamente a sustentabilidade do projeto. Estes interesses pessoais são muitas vezes relacionados com a sua posição profissional, negócios privados ou até mesmo aspirações políticas. Não só os predadores de sustentabilidade têm meios e poder para destruir os esforços de sustentabilidade, mas também atacam ativamente quem defende ou apoia a sobrevivência das decisões de projeto. Os predadores podem ser atores dentro ou fora do ambiente organizacional do projeto. É importante mencionar que os predadores mais perigosos são aqueles dentro do ambiente organizacional, que usam estratégias ocultas para atacar soluções duradouras e acabar com elas antes de serem implementadas.

Parasitas

São pessoas com uma porção de poder e cujos interesses são contra a sustentabilidade. Eles não se opõem abertamente ao plano de sustentabilidade, mas eles nunca o apoiam. Além disso, alguns de seus interesses pessoais, ações e comportamento podem prejudicar a sobrevivência dos resultados do projeto. Eles se beneficiam de resultados imediatos do projeto, mas nunca tomam medidas para proteger e manter os resultados por muito tempo. Alguns homens e mulheres de negócios, gerentes funcionais, atores políticos e membros da equipe de projeto podem cair nesta categoria, quando eles não resolvem seus respectivos conflitos de interesse durante as tomadas de decisões relacionadas com a sustentabilidade.

Stakeholders ociosos

Estas são os stakeholders com nível muito baixo de energia e com quase nenhum interesse ou informações sobre questões de sustentabilidade. Eles se comportam como os recém-nascidos. Eles não fazem nada que possa promover a sustentabilidade ou prejudicá-la. Eles não têm interesse aberto em soluções ou influência duradoura sobre a sobrevivência dos resultados do projeto após o seu encerramento.

Adeptos Tímidos

Adeptos tímidos de sustentabilidade são os técnicos do projeto com habilidades e conhecimentos relevantes, mas que não podem defender ativamente as entregas do projeto no longo prazo, embora eles não sejam contra elas. Eles quase não têm influência no projeto, não porque não há espaço para a influência, mas como resultado da falta de interesse ou motivação. Se eles estão motivados eles podem se tornar seguidores de sustentabilidade ou adeptos confiantes. Adeptos tímidos também podem ser usuários finais dos resultados do projeto que estão interessados ​​em soluções duradouras, mas com pouca ou nenhuma informação sobre como defender as suas necessidades.

Adeptos tímidos também podem ser empresas de pequena escala ou empresários novatos individuais que, ao mesmo tempo dependem dos predadores, embora tenham real interesse em soluções duradouras. Eles não falam o que pensam porque temem os predadores.

Adeptos confiantes

Eles têm alto nível  de suporte para a sustentabilidade, mas seu nível de influência é muito baixo. Eles abertamente afirmam ser a favor dos resultados duradouros do projeto. A palavra sustentabilidade está sempre em seu discurso e faz um esforço para mobilizar todos os stakeholders a favor da sobrevivência dos resultados do projeto após o encerramento. Embora eles não tenham influência devido à informação limitada e de outros meios, os adeptos confiantes incansavelmente erguem suas vozes em defesa de soluções em longo prazo, mas eles são incapazes de mostrar como implementá-las. A atitude entusiástica dos adeptos confiantes resulta da sua natureza liberal, que define suas mentes livres para se expressarem em favor da sustentabilidade. A única barreira para os adeptos confiantes é o baixo nível de poder real, o que, até certo ponto, é um resultado de baixo nível econômico, social, político ou intelectual.

Seguidores

Eles têm poder mediano. Eles são gerentes de nível médio com algumas habilidades técnicas úteis e estão interessados ​​na sustentabilidade do projeto. O seu nível de suporte para soluções duradouras é equilibrado por seu desejo de obedecer aos seus chefes que podem não estar interessados ​​em sustentabilidade. Eles tendem a seguir o equilíbrio de poder no ambiente do projeto.

Seguidores também podem ser empresas de escala média ou empresários individuais que prestam atenção ao jogo de poder em torno da sustentabilidade entre os stakeholders muito ativos (por exemplo, entre predadores e líderes). Eles estão prontos para apoiar e defender a sustentabilidade se determinadas condições forem respeitadas. Eles também são chamados de oportunistas porque eles apoiam a sustentabilidade somente quando as condições relativas aos seus próprios interesses são atendidas.

Apoiadores

São pessoas com alto nível de poder e muitas atividades, com apoio mediano à sustentabilidade. Líderes e defensores usam alto nível de influência dos apoiadores para promover e proteger soluções duradouras, e para frustrar as ações e planos dos predadores. O comportamento dos apoiadores é cuidadosamente monitorado por campeões e defensores, para garantir que eles não caiam nas mãos de predadores. O alinhamento dos apoiadores é um fator muito determinante do resultado do jogo em torno da sustentabilidade.

Defensores

Estas são as pessoas com alto nível de suporte à sustentabilidade do projeto e com alguma parcela de poder. Eles têm conhecimento e habilidades relevantes sobre sustentabilidade. Eles têm muito interesse em defender soluções duradouras e eles fazem tudo o que podem para pressionar outros stakeholders, incluindo os que possuem grande poder de decisão no projeto. O seu coração está na sustentabilidade e toda a sua energia é alocada para isso. Sua única barreira é uma possível ação dos predadores que são mais poderosos e prontos para serem contra todas as soluções viáveis. Líderes contam fortemente com o apoio dos defensores para esmagar predadores e parasitas. E é esta aliança entre líderes e defensores que faz a diferença na campanha para a sustentabilidade.

Líderes

O líder de sustentabilidade é um indivíduo excepcional que se dedica a soluções duradouras de forma desafiadora e consistente. Ele ou ela é um dos stakeholders do projeto. O papel do líder de sustentabilidade também pode ser realizado por uma organização, que tem maturidade num determinado setor e que integrou as questões de sustentabilidade em suas operações e procedimentos de tomada de decisão e pode desempenhar um papel de liderança na mobilização de organizações irmãs em direção a soluções duradouras.

Líderes de sustentabilidade são bons em defender e fazer “lobbying”. Eles sempre encontram o caminho para obter o apoio tanto do nível operacional quanto do estratégico. Eles são hábeis na mobilização de pessoas sobre as dimensões da sustentabilidade de um projeto. Devido ao seu alto nível de suporte em soluções duradouras e influência na organização, os campeões desempenham um papel fundamental na garantia da sustentabilidade.

Conclusão

O velho pensamento de que as questões de sustentabilidade são na maior parte técnicas, com pouca dimensão de governança, não se sustenta mais. A evidência histórica tem mostrado que o fator humano, que é por essência político e social, desempenha um papel preponderante na formação da sustentabilidade. Além da ação natural, o resto do que acontece em nosso Meio Ambiente é resultado do que as pessoas fazem.  Considerando que o que as pessoas fazem modela o desenvolvimento sustentável, há possibilidade de orientar a sustentabilidade por meio de ações humanas, e o gerenciamento de stakeholders tem o seu lugar aqui.

Autor: Gratien Gasaba, gerente de programas e projetos com mais de 9 anos de experiência, com foco em desenvolvimento de capacidade organizacional, governança, saúde e agricultura.

Artigo publicado originalmente no site PM Hut

Publicidade