Quatro elementos críticos ao sucesso do projeto


sucesso-do-projeto-planejamento

Para que um projeto tenha alguma chance real de sucesso, quatro componentes centrais devem ser considerados, terem valores com credibilidade, servirem para a tomada de decisões e serem comprometidos com o real desempenho do projeto, com sistema de controle de feedback.

PLANEJAMENTO

Sem um ordenamento do trabalho a ser realizado, e o tempo previsto para cumprir cada uma de suas etapas, não há como estimar quando o projeto estará concluído.

Há várias maneiras de visualizar o trabalho, a sua duração e a sequência das etapas. As respostas a estas questões dependem da apropriação do valor em risco e das necessidades do cliente.

São as necessidades do cliente que fundamentam o processo de seleção, e não os prestadores de serviços para os clientes. Este é um tema reiterado aqui. Aqueles que investem dinheiro para realização do projeto têm pleno interesse em saber de que forma o trabalho será executado.

CUSTO

O valor dos resultados produzidos depende de conhecer os custos para sua realização. Este é um princípio fundamental de todos os negócios, sendo igualmente essencial para os trabalhos de projetos.

Se tivermos alguma noção de valor, a partir da informação do cliente ou mediante um processo de modelagem do negócio, nós precisamos saber o custo de geração desse valor.

Uma vez que todas as variáveis dos projetos são variáveis ​​aleatórias, nossos processos de estimativa de custos devem estar voltados para revelar o que poderia custar, o que irá custar, o que deveria custar cada um dos entregáveis do projeto.

Um método para a estimativa de custos é a Previsão por Classe de Referência. Outros métodos podem fornecer estimativas credíveis, incluindo modelagem paramétrica. Ferramentas, processos e diretivas oficiais, estão todos disponíveis para a estimativa de custos em quase todas as áreas de gestão e no âmbito técnico.

Adivinhar não é estimar, desconsiderar o custo de execução do trabalho é negligência, alegar que os custos só poderão ser conhecidos ao final do projeto, é incompetência.

RISCO

Todo risco vem da incerteza

“A gestão de riscos é a forma como os adultos gerenciam projetos” – Tim Lister

Risco não gerenciado não desaparece, ele está sempre presente. O gerenciamento de risco começa com uma listagem dos riscos, o registro de riscos. Esta lista indica a probabilidade de ocorrência, a probabilidade de impacto, o custo para lidar com o risco e a probabilidade de persistência do risco uma vez que ele foi mitigado.

O processo de gestão de riscos é explícito e segue um procedimento passo-a-passo. Alguns processos de desenvolvimento – como o Ágil – podem melhorar a visibilidade para a redução de risco, mas eles não são processos de gestão de riscos, apenas contribuem para os processos de redução e gestão de riscos.

INCERTEZA

Todas as variáveis ​​de projeto são variáveis ​​aleatórias, portanto atue de forma apropriada.

Conhecer as funções de distribuição de probabilidade subjacentes aos processos estatísticos que conduzem estas variáveis ​​aleatórias, é um fator essencial para o sucesso de todo projeto.

Qualquer um que suponha que há certezas em projetos deixou de prestar atenção na aula de estatística do Ensino Médio.

Todo custo, cronograma e parâmetro de desempenho técnico, em todos os projetos, tem uma distribuição de probabilidade atribuída a ele. Não saber ou entender esta distribuição, ou que uma distribuição esteja presente, vai leva-lo a custos imprevistos e cronograma e desempenho técnico decepcionantes.

Então e agora?

  • Não podemos tomar decisões sem conhecer o custo dessas decisões.
  • Não podemos conhecer esses custos sem fazer estimativas. Aguardar até o final, não é um procedimento de gestão viável.
  • Todo o trabalho que fazemos é probabilístico por natureza. Precisamos de margem para resguardar o projeto, para trabalho cujas variâncias não podem ser reduzidas. Precisamos reduzir todo o risco do trabalho que pudermos.
  • Medidas de Eficácia e de Desempenho são as que mais interessam ao cliente, a partir do custo planejado para o valor do que está sendo entregue.

Autor: Glen B. Alleman

Artigo publicado originalmente no site Herding Cats

Publicidade