Por que projetos de software fracassam?


projetos-de-software-fracassam1

Embora exista um grande debate sobre as razões pelas quais projetos de software fracassam, acredita-se que muitos — se não a maioria — destes projetos fracassam de alguma forma. Devido ao medo de provável falha, muitas empresas continuam a gerir suas organizações com software e processos antiquados e ultrapassados, em vez de implementarem um novo sistema.

A Gartner, Inc., um líder na pesquisa de tecnologia da informação, avaliou a taxa de frequência de fracasso de projetos de software. Embora não chegue a um valor tão alto quanto 50%, a taxa é bastante elevada. De acordo com a pesquisa de Gartner em 2008, projetos considerados fracassados ocorrem nas seguintes taxas:

  • 14% para projetos pequenos
  • 20% para projetos médios
  • 22% para projetos grandes
  • Média de 20% para todos os tipos de projetos.

Além disso, 25% dos projetos fracassaram devido a questões de funcionalidade, 15% devido à alta variação de custo, 20% por cancelamentos durante o fornecimento e 18% foram cancelados porque estavam demasiadamente atrasados.

Como os projetos de tecnologia, mais especificamente implementações de software, exigem uma gestão eficaz dos recursos humanos a fim de atingir a meta do cronograma, custo e requisitos de qualidade, é razoável entender que um gerenciamento de recursos ineficiente contribui bastante para o fracasso de projetos de tecnologia.

As questões primordiais na implementação de software são:

  • Entender as reais necessidades (Qualidade)
  • Conhecer as limitações do software (Funcionalidade)
  • Estimar com precisão o esforço e o cronograma (Pesquisa e Cronograma)

Ao mesmo tempo que todas essas questões devem ser endereçadas adequadamente, gerenciar as pessoas (recursos) para a nova implantação do software pode ser mais desafiador, principalmente quando o projeto não é o único trabalho das pessoas.  Ferramentas podem ser utilizadas para ajudar a manter as tarefas, o cronograma e o custo no caminho certo – mas isso não substitui a comunicação e o feedback necessários durante a implementação. As ferramentas e métodos usados na comunicação e gerenciamento são vitais no sucesso do projeto.

Hoje, aproximadamente 80% dos projetos de tecnologia empregam técnicas de gerenciamento de projetos em algum nível. Essas técnicas e processos são feitos para auxiliar no gerenciamento de competências, cronograma, custo e recursos. Mesmo com a utilização de boas práticas de gerenciamento de projeto, não se pode evitar completamente o fracasso do projeto; as chances de sucesso crescem enormemente se a equipe envolvida utiliza ferramentas e técnicas comuns durante a implementação. Aqui temos alguns documentos e ferramentas que eu achei especialmente úteis no gerenciamento de um projeto de sucesso.

  • Ferramentas de Planejamento e Cronogramas – MS Project, Planview, Clarity, Primavera
  • Portais Colaborativos – MS SharePoint, E-Room, Custom Web site Reporting tool – SharePoint, Clarity, MS Word, MS Excel, MS PowerPoint
  • Ferramentas de Gerenciamento de Recursos e Tempo – ProjectXecute, Tenrox, Primavera

Cada um desses documentos e ferramentas serve não somente para múltiplos propósitos, mas ajuda também a comunicação entre os membros da equipe e gerentes do projeto. É importante que independente da ferramenta que se implemente e se use, o pessoal  e os membros da equipe saibam utilizá-la e compreendam a necessidade de manter a informação correta. Um relatório ou uma planilha que não tem precisão, jamais ajudará o Gerente de Projeto a entender em que pé está o projeto. De fato, o maior medo que eu vejo na implantação de um software, é que as pessoas não sigam o cronograma nem avaliem o que deve ser feito pelo projeto. Isso só pode ser monitorado e gerenciado através das ferramentas que são usadas no projeto de software.

Autor: Bruce A. McGraw é COO/EVP da Cognitive Technologies, Gerente de Programas há mais de 25 anos e possui experiência em múltiplos ramos de negócios. Sua habilidade para criar soluções pragmáticas e para atingir metas, junto com sua experiência em todos os aspectos de gerenciamento de projetos, lhe permitem atender as expectativas dos clientes em pontualidade, orçamento e entrega. Bruce é um Profissional no Gerenciamento de Projetos (PMP) e um membro ativo do PMI. Bruce é o autor de um blog em gerenciamento de projeto chamado Fear No Project.

Artigo publicado originalmente no site PM Hut

Publicidade