Estratégias para recuperar um projeto


problemas-em-projetos

Projetos entram em apuros, é apenas um fato da vida e algo que todos nós, gerentes de projetos, já enfrentamos. Alguns projetos em dificuldades são fáceis de corrigir, alguns exigem certa reconcentração dos esforços para salvar, e outros simplesmente não podem ser salvos. No entanto, nunca vamos apenas desistir e dizer que não há mais solução sem ao menos um esforço conjunto para reviver um projeto que está fracassando. Jogar a toalha é uma coisa difícil de fazer, pelo menos para mim. Portanto, eu gostaria de considerar todas as possíveis (e razoáveis) formas de consertar, trabalhar ou  empurrar os empecilhos de projetos quando eles aparecem. Esta situação só me aconteceu algumas vezes… é doloroso… mas não é o fim do mundo. Em todos os casos, menos um, uma variação (ou combinação) das estratégias listadas abaixo ajudou a mim e a minha equipe a sair da bagunça.

Manter o curso

Isso muitas vezes não é uma opção, mas a primeira ação que eu gosto de tomar é a de reunir a equipe e o cliente juntos e ver se podemos superar o problema sem afetar o cronograma atual. Às vezes, apenas se concentrar no que nos trouxe problemas em primeiro lugar, e melhorar o desempenho nessa área específica, pode resolver o problema e colocar o projeto de volta aos trilhos. Se não, siga em frente para mais estratégias.

Corrigi-lo mais tarde

Isso pode demandar algumas habilidades de negociação, mas se isso não for um empecilho para o projeto inteiro ou para as entregas-chave que deve ser concluídas em primeiro lugar, então adiar a resolução do problema pode ser uma opção. Você pode colocar em risco a confiança do cliente, pois saber que o problema ainda existe pode ser um fator de frustração para o cliente. No entanto, se eles compreendem o valor de continuar avançando, eles podem concordar.

Adicionar recursos

Isso é perigoso porque pode ou não resolver o problema, mas ele definitivamente vai impactar o orçamento, às vezes severamente. No entanto, se os problemas são críticos para o projeto, você pode não ter escolha. Eu tive que ir por esse caminho, ao extremo, em dois projetos. Enquanto eu fui capaz de concluir os projetos, o que era uma necessidade absoluta, eles não foram realmente considerados um sucesso porque nós fomos muito acima do orçamento, adicionando pessoal e passando um tempo considerável fazendo pausas e testes de reparo. Mas funcionou, e implementamos as soluções relativamente a tempo.

Aceitar substituições

Mais uma vez, isso vai exigir habilidades de negociação, mas se uma solução objetiva não pode ser obtida, oferecer uma substituição relativamente equivalente pode ser aceitável. Eu fiz isso uma vez com um cliente que precisava de um módulo de software específico para oferecer uma notificação específica quando os usuários fossem reservar salas de conferências. Sua preferência não era possível, dada a tecnologia a ser utilizada e da tecnologia existente site do cliente, mas uma solução alternativa foi aceita depois de algumas negociações.

Reduzir o escopo

Quando tudo mais falhar, pode haver a necessidade de se negociar uma redução no escopo. Se o problema não pode ser corrigido ou superado, talvez não seja possível avançar com o projeto no escopo atual. Reduzir ou alterar o escopo – exigindo, portanto, uma ou mais ordens de mudança, é definitivamente uma possibilidade. Isso pode significar uma receita menor, e possivelmente, menos lucro para a organização que executa o projeto. Neste caso, sua liderança sênior pode recuar da ideia, mas pode ser a única alternativa para um projeto prestes a fracassar ou ser cancelado.

Resumo

Há certamente mais caminhos que podem ser tomados para tentar recompor um projeto sem jogar a toalha. É claro que tudo vai depender do problema específico e quão grande e crítico ele é. Mas sempre tenha em mente como qualquer estratégia vai afetar os 3 determinantes mais importantes: a pontualidade da entrega, o orçamento, e a satisfação do cliente. Esses são os grandes determinantes do sucesso do projeto.

Autor: Brad Egeland

Artigo publicado originalmente no site Viewpath

Publicidade