O poder do gerente de projeto


gerente-de-projeto1

O poder é muitas vezes definido como a capacidade de influenciar os principais atores no processo de tomada de decisões para alcançar um objetivo. Em outras palavras, poder significa conseguir o que se quer.

Os gerentes de projeto podem às vezes se sentem impotentes porque não têm as competências dos gestores funcionais, tais como contratação e demissão. Embora verdade, eles não são tão impotentes como eles pensam. De acordo com teóricos da administração John French e Bertram Raven, existem cinco diferentes fontes de poder. Cada uma se aplica em graus diferentes ao gerente de projeto.

Poder de coerção

O poder de coerção usa o medo como uma ferramenta fundamental. Trata-se de infligir o castigo. Os gerentes de projeto, normalmente têm pouco poder coercitivo em um sentido evidente. Em um nível mais sutil, porém, eles podem deixar de alocar certas pessoas para tarefas cobiçadas, não convidá-las para reuniões, ou não se comunicar com elas.

Poder de recompensa

O poder de recompensa usa instrumentos positivos, financeiros e não-financeiros. A maioria dos gerentes de projetos não tem o poder de usar incentivos monetários. No entanto, eles podem fornecer feedback aos gerentes funcionais sobre o desempenho da equipe, que serve como uma base para determinar os aumentos salariais. Os gerentes de projeto também podem pagar treinamentos e definir outras regalias. A partir de uma perspectiva não monetária, podem recompensar as pessoas, atribuindo-lhes tarefas de alta visibilidade, bem como envolvê-los no processo de tomada de decisão.

Poder legítimo

O poder legítimo é a autoridade concedida pela organização. Em outras palavras, esse poder permite que os gerentes deem ordens com o total apoio da organização. Os gerentes de projeto, especialmente em um ambiente matricial, não têm esse poder – portanto devem utilizar outras fontes de poder. Ainda assim, eles têm algum poder legítimo, especialmente se eles têm o apoio político de um gerente sênior da organização.

Poder de especialização

O poder de especialização tem base nas credenciais de uma pessoa em relação a seu  conhecimento, experiência, ou formação. Os gerentes de projeto muitas vezes são escolhidos por essas características e ganham um poder considerável neste sentido. O único problema é que os gerentes de projeto muitas vezes adotam um foco muito estreito, deixando de ter uma visão macro e trabalhar em outras áreas-chave. Além disso, eles têm poder apenas enquanto as pessoas respeitem essas características.

Poder de referência

O poder de referência é baseado na teoria dos traços, ou seja, características de uma pessoa. Esses gerentes de projetos têm certas características que fazem com que as pessoas queiram segui-los. Um exemplo de tal característica é o carisma.

As informações deste artigo foram parcialmente derivadas da obra de Kleim e Ludin, livro intitulado, “O Manual do Profissional de Gerenciamento de Projeto”.

Autor: Brad England – http://www.bradegeland.com/

Artigo orginalmente publicado no site Project Management Tips

Publicidade