Gerenciamento Ágil de Projetos – Entrevista com Vitor Massari


large

Entrevistamos o consultor Vitor Massari, da Hiflex Consultoria, autor do livro “Gerenciamento Ágil de Projetos“.  Nesta entrevista, buscamos explorar alguns dos conceitos por trás da mentalidade Ágil, aproveitando os mais de 15 anos de experiência do autor em projetos de software.

Também estamos sorteando um exemplar do livro para nossos leitores.  Para participar, basta preencher o pequeno formulário no final da entrevista.

1. No que se baseiam as metodologias ágeis de gerenciamento de projetos?

Baseiam-se em dividir um projeto em fases de curta duração (máximo de 4 semanas), refinando o escopo no decorrer do projeto e estar alinhado aos 4 valores do Manifesto Ágil:

  • Indivíduos e Interações mais que Processos e Ferramentas: Os processos e ferramentas são importantíssimos em um projeto, mas de nada adiantam se não temos pessoas interagindo, comunicando, dando e recebendo feedback no decorrer de todo o projeto.
  • Produto Funcional mais que Documentação Abrangente: Documentação é importante em um projeto, mas ela deve ser a ratificação de um entendimento entre pessoas e a formalização de um produto que funciona.
  • Colaboração com o Cliente mais que Negociar Contratos: Quebrar a barreira entre cliente e equipe que desenvolve o produto do projeto. O cliente deve interagir com a equipe do projeto o tempo todo.
  • Responder à mudanças mais que Seguir um Plano: Se o projeto necessita de uma mudança que agrega valor, diferencial ou competitividade ao produto final, abrace a mudança !

2. Porque você acredita que práticas ágeis estão em ascensão?

Porque, desde que aplicadas corretamente, elas ajudam a minimizar problemas clássicos de projetos como estouro de custo e prazo, o temido aumento de escopo desordenado (“scope-creep”), insatisfação do cliente após a entrega do produto final, defeitos embutidos no produto, além de lidar de uma forma mais amigável com as mudanças do projeto

3. Em que tipo de projetos você acha que ser ágil é mais proveitoso?

Projetos em que reinam riscos e/ou incertezas com relação à tecnologia, requisitos e recursos. Por exemplo: um método ágil pode ser extremamente útil em um projeto para a elaboração de um novo modelo de celular, pois trata-se de algo inovador e o conhecimento sobre o produto do projeto será adquirido através da experiência (processo empírico). Porém não será de grande valia de um projeto para a construção de um edifício, pois todos os requisitos técnicos e recursos devem ser longamente planejados e conhecidos antes da execução (processo preditivo).

4. Para o gerente de projetos acostumado com metodologias mais tradicionais, quais passos ele deve tomar para adotar práticas ágeis?

Primeira coisa que ele deve ter em mente é que: Processos são gerenciados, pessoas são lideradas.

O gerente de projeto deve assumir um grande perfil de líder através do coaching e incentivo de formação de equipes auto-organizadas.

Outra coisa é sair da zona de conforto e entender que o papel de um gerente de projeto é muito maior que apenas ser o “cara que cobra prazo” ou “o cara do Microsoft Project”, ele deve ser um grande maestro, incentivador, líder, usar e abusar de técnicas como inteligência emocional, liderança situacional e servidora para extrair o melhor de sua equipe.

5. Quais certificações estão voltadas para o gerenciamento ágil de projetos?

Existem diversas voltadas para o framework Scrum (PSM, CSM, EXIN ASF, entre outras), porém a certificação PMI-ACP (Agile Certified Practitioner) é aquela que engloba mais técnicas ágeis além de estar 100% alinhada com as boas práticas de gerenciamento de projetos descritas no PMBOK.

6. O que o levou a escrever um livro sobre Gerenciamento Ágil de Projetos?

Devido a escassez de bibliografia nacional sobre o assunto e por causa de alguns alunos que estavam deixando de procurar a certificação PMI-ACP por só encontrarem material de referência em Inglês

7. Tem alguma dica final para quem quer começar a ser mais ágil em seus projetos?

Três dicas preciosas:

  1. Foco na interação entre seus colegas de equipe e cliente. Menos e-mails, menos formalidade e mais comunicação e interação
  2. Como disse acima: “Processos são gerenciados e pessoas são lideradas” ou um trecho muito bom do livro do Jim Highsmith que cai na prova do PMI-ACP inclusive:  “O líder gerencia os princípios e a equipe é gerenciada por estes princípios”
  3. Simplificar o mindset. Ser ágil é a arte do pensar simples, mas tome cuidado, pois pensar simples não significa ter preguiça de pensar ! 🙂

 

Interessado em metodologias ágeis?

Cadastre-se para participar do sorteio de um exemplar do livro de Vitor Massari:

[wufoo username=”avantta” formhash=”q1wfwt570zm7ckl” autoresize=”true” height=”340″ header=”show” ssl=”true”]

 

Publicidade


  • Marcos Gonçalves

    O ramo de Gerenciamento de Projetos está precisando do lançamento destes novos métodos.