Por que você não dá feedback à sua equipe?


feedback-equipe-treinamento

Recentemente eu li o livro “The Feedback Imperative”, de Anna Carroll, e algo ficou na minha cabeça. Eu sei que dar feedback aos membros da equipe do projeto é importante… isso não foi exatamente uma revelação do livro. Mas Carroll falou sobre o motivo de não darmos  feedback e isso me fez pensar. As equipes de projeto prosperam quando sabem o que está funcionando e o que não está; é a forma pela qual melhoramos a entrega dos projetos e o motivo pelo qual gastamos tanto tempo fazendo avaliações pós-implementação e falando com os clientes do projeto. Então, o que não nos faria dar feedback? Aqui estão quatro razões que Carroll discute em seu livro.

1. Falta de apoio

Esta é provavelmente uma das coisas mais importantes para a maioria dos gerentes de projeto. A falta de apoio quando se trata de fornecer feedback manifesta-se de várias maneiras. Talvez você não tenha um bom modelo – você nunca recebeu feedback de seu gerente, então você não tem certeza de como é um feedback. Talvez o feedback seja ativamente desencorajado, ou não há uma cultura de responsabilizar as pessoas em seus erros. Talvez ninguém se preocupe em comemorar o sucesso ao seu redor, então se você fizer isso há um risco de parecer falso. Pode ser tão simples quanto falta de tempo suficiente para preparar um feedback, então você não pode dá-lo corretamente e, portanto, opta por não fazê-lo nunca.

É difícil mudar a falta de suporte ao feedback em uma empresa e não é algo que você pode combater eficazmente sozinho. No entanto, você é responsável pela cultura em seu próprio projeto, então é possível fazer isso por conta própria se estiver preparado para correr atrás e aguentar os olhares estranhos.  Vale a pena e sua equipe realmente irá gostar disso!

2. Crenças negativas

Carroll diz que algumas pessoas não oferecem feedback porque acreditam que isso irá afetá-las ou irá afetar as pessoas com que estão conversando de maneira negativa. Isso é possível, é claro, mas na maioria das vezes o feedback bem feito é uma experiência positiva para todos. Existe um risco, diz ela, de que algumas pessoas pensem que se elas fornecerem feedback construtivo para outros irá causar falta de motivação e desencorajar o talento. Na realidade, é mais provável que o feedback reforce a motivação e lhe dê uma equipe de alto desempenho. Afinal de contas, eles só podem ter um bom desempenho se eles sabem o que você quer deles – e isso significa falar para eles!

3. Medo

Algumas pessoas não dão feedback porque é assustador. E eu posso ver de onde isso vem. É difícil chamar alguém para uma reunião para dizer que ele não está carregando seu fardo no projeto. Ou que os stakeholders solicitaram que eles não apareçam mais nas reuniões ou que eles foram removidos da equipe (eu tive que fazer isso, então eu sei como é).

O mecanismo de luta ou fuga que nos ajuda em momentos de medo também é nosso pior inimigo nessa situação. Ele faz você parar de pensar racionalmente, então você para de pensar nos grandes benefícios que o feedback traz para o seu projeto e começa a pensar sobre quão terrível será e que a pessoa que receber o feedback vai odiar você para sempre. Sem a sua capacidade de raciocínio toda a situação torna-se muito mais assustadora! Então, tente domar essa reação de luta ou fuga e mantenha-se lógico quanto ao fato de dar feedback.

4. Falta de habilidades

Finalmente, pode haver uma razão muito simples para você não dar feedback: você não tem as habilidades para fazê-lo. Isso não é sobre ter confiança, é sobre as coisas mais simples como não ter um modelo para uma reunião ou a estrutura para dar feedback. Isso pode criar falta de confiança e desestimular você a dar o feedback.

Resolva a falta de habilidades conversando com seu gerente para ver se você pode receber algum treinamento em como dar feedback. Muitos cursos de liderança e gestão incluem isso, mas você não necessariamente tem que fazer um curso completo. Talvez seu departamento de RH pode realizar uma breve sessão de feedback, ou você pode obter algum treinamento de outro gerente experiente.

Autora: Elizabeth Harrin

Artigo publicado originalmente no site PM Tips

Publicidade